• PORTAL G7

Acidente entre caminhão e ônibus deixa 41 mortos no interior paulista


Ônibus transportava funcionários de uma empresa têxtil.



Foto: YouTube



O governo de São Paulo montou uma força-tarefa para identificar e liberar os corpos das vítimas da tragédia na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho (SP 249), em Taguaí. Os institutos médicos-legais (IMLs) das cidades de Avaré, Botucatu e Itapetininga, foram acionados para atender mais rapidamente ao número de mortos no acidente.


Segundo a Polícia Militar, até o momento já foram registradas 41 mortes, sendo 37 no local e quatro nos prontos-socorros da região. Os feridos foram levados para hospitais em Taquarituba, Taguaí e Fartura. Os ocupantes do ônibus eram funcionários de uma empresa têxtil da cidade de Taguaí.


De acordo com as informações do governo estadual, tanto a Polícia Militar quanto a Civil trabalham no atendimento das vítimas, com auxílio do helicóptero Águia, da Base de Campinas, e a perícia no local.



Prefeitura de Itaí decreta luto de três dias


A prefeitura de Itaí, de onde saiu o ônibus que se acidentou na manhã de hoje (25), decretou luto de três dias na cidade pela morte de 41 pessoas. Outros dez feridos permanecem internados em hospitais de Taquarituba, Taguaí e Fartura.


O ônibus levava trabalhadores de uma indústria têxtil de Taguaí quando se envolveu em acidente com caminhão na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho (SP 249). Pelo menos 37 ocupantes morreram na hora. Entre os mortos está o motorista do caminhão, que foi socorrido, mas não resistiu.


O governo estadual de São Paulo montou uma força-tarefa para identificar e liberar os corpos das vítimas. Os Institutos Médicos Legais (IMLs) das cidades de Avaré, Botucatu e Itapetininga, foram acionados para atender mais rapidamente às famílias dos acidentados.


O Coordenador da Defesa Civil do Estado, Coronel Walter Nyakas Júnior, e os secretários de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e de Saúde, Jean Gorinchteyn, foram até o local para coordenar os resgates, visitar os hospitais onde estão as vítimas e agilizar a liberação dos corpos.



Velórios e sepultamentos


Um velório coletivo, no Ginásio Municipal, foi organizado, respeitando-se as orientações sanitárias. Por conta da pandemia de Covid-19, só podem ser velados oito corpos por vez no local.


Alguns sepultamentos foram autorizados para serem realizados ainda na noite desta quarta-feira (25).


A pedido das famílias, alguns corpos já identificados estão sendo transferidos para outros municípios e outros estados, para serem velados e sepultados.


Em função da gravidade dos ferimentos de alguns sobreviventes, que estão internados em hospitais da região, o número de vítimas fatais do acidente ainda pode aumentar.



Fonte: Agência Brasil


5 visualizações0 comentário