• PORTAL G7

Aos 83 anos, morre José Mojica Marins, o Zé do Caixão

Atualizado: 20 de Fev de 2020


Mestre do terror brasileiro dirigiu 40 filmes e atuou como ator em mais de 50 produções. Internado desde 28 de janeiro, cineasta foi vítima de uma broncopneumonia.



Fotos: YouTube



A morte de José Mojica Marins, consagrado no segmento trash, foi confirmada pela filha do cineasta, a atriz Liz Marins, nesta quarta-feira (19).


Conhecido pelo personagem Zé do Caixão, que interpretou em várias produções e adotou como identidade artística, Mojica morreu em São Paulo, às 15h46, no Hospital Sancta Maggiore, onde estava internado desde o fim de janeiro, para o tratamento de uma broncopneumonia.





Em 2014, José Mojica Marins foi internado duas vezes. A primeira, após um infarto, na qual passou por uma angioplastia, com colocação de três stents no coração. A outra, por complicações renais.


No mesmo ano, o artista foi homenageado pela Escola de Samba Rosas de Ouro, no carnaval paulistano. E desfilou em um carro alegórico, no Sambódromo do Anhembi.


Três anos antes, em 2011, o cineasta já havia sido homenageado na festa mais popular do Brasil. Só que, desta vez, pela Unidos da Tijuca, no carnaval carioca. Ele também foi o destaque de uma alegoria, na Marquês de Sapucaí. E encerrou o desfile, com o qual a agremiação conquistou o vice-campeonato.





Do terror à pornochanchada

A estreia no cinema foi na década de 1950. Em 1958, lançou seu primeiro longa-metragem: "A Sina do Aventureiro".

O personagem mais famoso da carreira, Zé do Caixão, surgiu para ele em um sonho e foi lançado em 1964, em "À Meia-noite Levarei Sua Alma". E ficou conhecido como "Coffin Joe", na América (EUA).


Embora tenha se consagrado no gênero terror, o ator, roteirista e diretor também flertou com outros segmentos, como faroeste, aventura e pornochanchada. Nos anos 1960, influenciou o cinema marginal.

Velório e sepultamento


José Mojica Marins deixa sete filhos. O velório do corpo do artista será realizado no MIS (Museu da Imagem e do Som), que fica no Jardim Europa, na capital paulista, a partir das 16 horas desta quinta-feira (20).


Ainda não há confirmação de data, local e horário do sepultamento do cineasta.


Da Redação

4 visualizações0 comentário