• PORTAL G7

Aplicação da segunda dose da vacina avança no Paraná


Distribuição do imunizante foi feita pelo Governo do Estado. Recebem a segunda dose pessoas que vivem em instituições de longa permanência (ILPI), profissionais que atuam nestes locais e pessoas com deficiências severas, pessoal da saúde e indígenas aldeados.



Foto: AEN / Jonathan Campos



A aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 avançou nesta semana no Paraná, com o início da nova etapa de imunização em diversos municípios. O esquema da segunda dose começa pelos idosos que vivem em asilos, profissionais que atuam nestes locais e pessoas com deficiências severas e, depois, segue com a vacinação dos indígenas aldeados e trabalhadores da saúde da linha de frente, que são os grupos imunizados na primeira etapa da vacinação.


A distribuição dos imunizantes foi feita pelo Governo do Estado, sob a coordenação da Secretaria Estadual da Saúde. O esquema segue os protocolos estabelecidos pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). As doses já estão nos municípios e foram enviadas anteriormente, de acordo com as remessas recebidas do Ministério da Saúde.


Idosos que residem em ILPIS e indígenas não se deslocam para receberem a segunda dose. Repetindo o esquema da primeira etapa, a aplicação está sendo feita nos asilos e nas aldeias. Os demais grupos devem seguir os esquemas vacinais preparados pelas secretarias municipais de saúde.


“Estamos otimistas com o início de mais uma etapa para a imunização dos grupos prioritários e organizados para seguirmos com a vacinação de toda a população, seguindo sempre as regras estabelecidas pelo PNI, que é um programa de vacinação reconhecido internacionalmente”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto.


A vacinação segue em todo Estado e ocorre de acordo com o recebimento de imunizantes, de forma gradual e escalonada, conforme o Plano Estadual de Vacinação. Até o fim de maio de 2021 a expectativa do Governo do Paraná é de vacinar cerca de 4 milhões de paranaenses.


DOSE 2 – A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria, Maria Goretti David Lopes, destacou a importância do registro da vacina, que garante o recebimento da segunda dose. “A partir da aplicação da segunda dose as pessoas estarão mais protegidas contra a Covid-19 e para isso destacamos que é fundamental o registro da primeira vacina recebida”, afirmou.


Números preliminares da vacinação nestes grupos apontam que dos 12.224 idosos com 60 anos ou mais institucionalizados, cerca de 11 mil já receberam a primeira dose e agora receberão a segunda. Dos 10.565 indígenas aldeados, 8.167 haviam recebido a primeira dose até a quarta-feira desta semana.


“Como ainda estamos vacinando grupos prioritários, a dinâmica dos números muda diariamente, por isso destacamos que são dados preliminares. O mais importante é ressaltarmos que os grupos prioritários estão recebendo a vacina em todo o Estado que registra mais de 200 mil doses aplicadas”, ressaltou a diretora.


Fonte: AEN

2 visualizações0 comentário