• PORTAL G7

Aulas EAD garantem vaga no curso presencial do Bom Negócio 2020

Curitibanos que pretendem empreender ou impulsionar o crescimento da empresa em 2020 já podem começar a participar das aulas à distância (EAD) do programa Bom Negócio – Vale do Pinhão da Prefeitura.



Foto: SMCS / Levy Ferreira

Curitibanos que pretendem empreender ou impulsionar o crescimento da empresa em 2020 já podem começar a participar das aulas à distância (EAD) do programa Bom Negócio – Vale do Pinhão da Prefeitura.


As 16 horas de capacitação on-line, denominada Rota 1, são a primeira etapa do curso gratuito, que tem um segundo módulo de EAD (Rota 2) e aulas presenciais (Rota 3).


No total, são 86 horas de capacitação sobre empreendedorismo de impacto e que dura seis meses.O Bom Negócio – Vale do Pinhão foi lançado, no segundo semestre de 2018, pela Agência Curitiba de Desenvolvimento e já formou 575 alunos que foram preparados para adotar uma nova cultura de negócios. Enquanto as aulas à distância das rotas 1 e 2 são continuadas, ou seja, podem ser feitas a qualquer momento no site do Bom Negócio, as turmas presenciais da rota 3 começam na segunda quinzena de março.


As inscrições serão abertas em fevereiro.Os encontros presenciais ocorrem em espaços das instituições de ensino parceiras, em vários pontos da cidade.


Em 2020, já estão confirmados o Centro Europeu, a Uninter, a Uniopet, a Unibrasil e Universidade Positivo.“O programa prevê o uso da tecnologia como aliada do crescimento, a adoção de gestões mais modernas, o compartilhamento de ideias e a aposta na economia criativa e colaborativa como estratégia de desenvolvimento”, destaca Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba.


Rotas: Na Rota 1, são abordados temas como comportamento do empreendedor, planejamento, mercado e finanças. A Rota 2 é composta por EAD (14 horas) e workshops, que ocorrem no Engenho da Inovação, sede da Agência Curitiba, no Rebouças.


As aulas temáticas das rotas são em vídeo e, ao fim de cada etapa, o aluno precisa fazer um teste.


A Rota 3, de 56 horas, é presencial e compreende sete encontros temáticos (gestão inovadora; finanças e sustentabilidade; marketing, tecnologia e novos negócios; gestão de pessoas; mercado, produto, vendas e novo cliente; criatividade e inovação; e Startups: nenhum modelo de negócio).Para participar do curso em sala de aula, que integra a chamada Rota III do programa, é preciso obrigatoriamente fazer as rotas I e II à distância (EAD).Daniela Vitório Del Puente, coordenadora do Bom Negócio, alerta que, para participar das aulas presenciais (rota 3), é preciso obrigatoriamente fazer as rotas 1 e 2.


“Assim, dá para fazer o EAD com calma, voltar aos temas a qualquer momento e quando chegar março estar bem preparado para ingressar nas turmas em sala de aula”, justifica ela.


Mentorias: Paulo Roberto Ceschin Foggiato, 62 anos, retomou sua carreira com designer após fazer o Bom Negócio entre 2018 e 2019.


“As capacitações me ajudaram a perceber que precisava voltar a apostar no setor no que eu realmente sou bom”, recorda ele, que antes tinha tido experiência com panificação.Agora, Foggiato pretende lançar uma linha própria de peças de design. “As aulas e as mentorias do Bom Negócio me ajudaram a ter certeza que devo empreender e começar a produzir minhas criações”, garante ele.


Mentorias, inclusive, são outro diferencial do Bom Negócio – Vale do Pinhão. Após realizar as rotas 1 e 2, o empreendedor pode fazer mentorias com especialistas “padrinhos” inscritos no programa. Os mentores acompanham o desenvolvimento da micro e pequena empresa e oferecem aconselhamento para os problemas do dia a dia.


Fonte: PMC

1 visualização0 comentário