• PORTAL G7

Brasil: 2.165 mortes; mais de 78,8 mil novos infectados


Em 24 horas, foram confirmados quase 73,4 mil diagnósticos positivos e mais de 2,5 mil óbitos. Recuperados correspondem a 90,6% do total de contaminados.



Foto: YouTube



O número de pessoas que não resistiram à Covid-19 no Brasil chegou a 419.114. Entre ontem (6) e hoje (7), foram registradas mais 2.165 mortes. Ontem o sistema de dados do Ministério da Saúde informava sobre 416.949 vítimas fatais da pandemia.


Ainda há 3.699 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, mas a causa continua sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.


Já o número de casos acumulados foi para 15.082.449. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 78.886 novos diagnósticos positivos. Ontem, o sistema de informações do Ministério da Saúde estava em 14.930.183.


Ainda há no País 1.022.857 casos em acompanhamento. O termo é empregado para as pessoas infectadas e com casos ativos de contaminação pelo novo coronavírus.


Ainda conforme a atualização, o Brasil tem 13.640.478 pessoas que se recuperaram da Covid-19 desde o início da pandemia. Isso equivale a 90,4% do total de pessoas que foram infectadas com o vírus.


Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados. Já às terças-feiras, os resultados tendem a ser mais altos pelo envio dos dados acumulados.



Estados


O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (99.989). Em seguida, vêm Rio de Janeiro (46.171), Minas Gerais (35.424), Rio Grande do Sul (25.807) e Paraná (23.623).


Na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.534), Acre (1.575), Amapá (1.578), Tocantins (2.642) e Alagoas (4.347).



Vacinação


Até o momento, foram distribuídos a estados e municípios 75,5 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19.


Deste total, foram aplicadas 46,8 milhões de doses, sendo 31,7 milhões da 1.ª dose e 15,1 milhões da 2.ª dose.



Fonte: Agência Brasil


3 visualizações0 comentário