• PORTAL G7

Brasil: Novo recorde de 3.650 mortes; 84,2 mil diagnósticos


País acumula mais de 307,1 mil mortes e de 12,4 milhões de diagnósticos positivos de Covid-19, desde o início da pandemia. Recuperados correspondem a 87,3% do total de infectados.



Foto: YouTube



O Brasil bateu seu novo recorde de mortes registradas em 24 horas, com 3.650. Este total supera a maior marca anterior, de 3.250, na terça-feira (23). É mais de 50% acima da média móvel da última semana epidemiológica (14 a 20 de março), que ficou em 2.236 óbitos.


A marca ainda não inclui os dados do Ceará, que vem apresentando problemas técnicos para atualizar seus dados de novas mortes e casos. Com a soma de óbitos desse estado, o número deve aumentar.


O total de vidas perdidas para a pandemia alcançou 307.112. Ontem, a soma estava em 303.462 óbitos. Ainda há 3.538 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente.


O País também teve 84.245 novos diagnósticos confirmados entre ontem e hoje. Ontem, o País teve pela primeira vez mais de 100 mil novos casos confirmados em 24 horas. O total de pessoas que pegaram Covid-19 desde o início da pandemia alcançou 12.404.414. Ontem, o total de pessoas infectadas até o momento estava em 12.320.169.


Os dados estão na atualização do Ministério da Saúde divulgada na noite desta sexta-feira (26). O balanço é produzido com as informações coletadas pelas autoridades estaduais e locais de saúde.


O número de pessoas recuperadas chegou a 10.824.095. Já a quantidade de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.273.207.





Estados


O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (70.696), Rio de Janeiro (35.758), Minas Gerais (22.887), Rio Grande do Sul (17.349) e Paraná (15.939).


Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.224), Amapá (1.265), Roraima (1.318), Tocantins (1.912) e Alagoas (3.444).



Vacinação


Até o início da noite de hoje, haviam sido distribuídos 32,2 milhões de doses de vacinas.


Deste total, foram aplicados 16,7 milhões de doses, sendo 12,8 milhões da primeira dose e 3,9 milhões da segunda dose.



Fonte: Agência Brasil




1 visualização0 comentário