• PORTAL G7

Com mutirões aos finais de semana, Paraná ultrapassa 1,6 milhão de aplicações


Estado vacinou 55% de todo o grupo prioritário acima dos 60 anos, com mais de 977,4 mil idosos que já receberam a primeira dose. No total, 12,49% da sua população foi imunizada.



Fotos: PMC / AEN / Divulgação



A aplicação de vacinas não para no Estado. Dando continuidade à campanha de vacinação de domingo a domingo, 152 municípios de 21 regionais de Saúde do Paraná organizaram mutirões e aplicaram 47.873 doses no último fim de semana. O número representa 6% do total de doses aplicadas no Brasil nos dois dias – que, segundo consórcio realizado por veículos da imprensa, totalizaram 809.377 doses aplicadas entre as noites de sexta-feira (9) e domingo (11).


Entre as regionais que mais aplicaram doses no fim de semana estiveram Londrina (8.829 doses aplicadas), Região Metropolitana de Curitiba (6.566 doses) e Maringá (6.055 doses).

Durante o final de semana, o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, visitou municípios do Norte e do Noroeste para incentivar a campanha ininterrupta de vacinação. A recomendação atual do Estado é de que não se estoquem as vacinas recebidas para ampliar o percentual de paranaenses já vacinados. Imunizando também aos finais de semana, os municípios ajudam a manter esse fluxo contínuo.


“Nossos vacinadores têm décadas de experiência e temos disponíveis 1.850 salas de vacinação em todo o Paraná. Se tivermos vacina para todos, conseguiremos vacinar de 150 a 200 mil pessoas por dia. Essa é nossa meta”, enfatizou o secretário na visita a São Pedro do Ivaí. “Lutamos contra o tempo, porque quanto mais pessoas vacinadas, mais rápido elas ficam imunizadas e, assim, menos leitos de hospital elas ocupam. Com a imunização, as pessoas têm uma evolução menos grave da doença, o que é importante para poupar vidas. Muitas pessoas criticam a campanha, mas são 47 mil pessoas imunizadas em um final de semana”.





DOSES RECEBIDAS – No Paraná, 95% dos municípios ultrapassaram a marca de 80% de aplicações da primeira dose das vacinas que receberam, sendo que apenas 21 cidades ainda não atingiram esse índice. Até a tarde desta segunda-feira (12), 1.643.335 doses tinham sido aplicadas no Paraná, com 1.305.029 pessoas vacinadas com a primeira dose e 338.326 que já receberam a dose de reforço. Até o momento, 91% das primeiras doses e 34,3% das segundas doses recebidas e distribuídas pelo Estado já foram aplicadas. Os dados são do Vacinômetro, mantido pela Secretaria de Estado da Saúde.


As doses aplicadas já chegaram a 12,49% da população total do Paraná, e a 28,1% dos grupos prioritários previstos no plano de vacinação – que estimam cerca de 4,6 milhões de pessoas. A etapa de vacinação atual está aplicando as primeiras doses em pessoas de 65 a 69 anos, quilombolas e profissionais da segurança pública; além de aplicar as segundas doses para quem já completou o intervalo de tempo recomendado.





MUNICÍPIOS – Os 152 municípios que participaram da vacinação neste final de semana foram: Almirante Tamandaré, Alto Paraíso, Alto Paraná, Altônia, Alvorada do Sul, Amaporã, Antonina, Apucarana, Arapoti, Araruna, Araucária, Assaí, Atalaia, Barbosa Ferraz, Bela Vista do Paraíso, Bituruna, Bocaiúva do Sul, Bom Sucesso, Brasilândia do Sul, Califórnia, Cambé, Cambira, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Mourão, Cantagalo, Coronel Vivida, Cianorte, Clevelândia, Colombo, Conselheiro Mairinck, Cornélio Procópio, Cruz Machado, Cruzeiro do Oeste, Cruzeiro do Iguaçu, Curiúva, Esperança Nova, Farol, Faxinal, Fênix, Fernandes Pinheiro, Formosa do Oeste, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Goioerê, Guamiranga, Guapirama, Guarapuava, Guaraqueçaba, Icaraima, Imbaú, Ipiranga, Itaipulândia, Itambé, Itapejara D'Oeste, Itaúna do Sul, Ivaí, Jacarezinho, Jandaia do Sul, Japira, Japurã, Jataizinho, Jussara, Lapa, Laranjeiras do Sul, Loanda, Londrina, Luiziana, Lupionópolis, Mandaguaçu, Mandaguari, Manfrinópolis, Marechal Cândido Rondon, Maria Helena, Marialva, Mariluz, Maringá, Marmeleiro, Matelândia, Mauá da Serra, Medianeira, Miraselva, Missal, Nova Aliança do Ivaí, Nova Londrina, Nova Prata do Iguaçu, Ortigueira, Ourizona, Palmas, Palmeira, Palotina, Paraíso do Norte, Paranapoema, Pato Branco, Pérola, Pérola do Oeste, Pinhão, Piraí do Sul, Piraquara, Planaltina do Paraná, Planalto, Ponta Grossa, Porto Rico, Prado Ferreira, Presidente Castelo Branco, Prudentópolis, Quatro Barras, Quedas do Iguaçu, Ramilândia, Rancho Alegre, Realeza, Renascença, Reserva, Ribeirão Claro, Rio Negro, Rolândia, Salto do Lontra, Santa Cruz do Monte Castelo, Santa Isabel do Ivaí, Santa Izabel do Oeste, Santa Terezinha do Itaipu, Santo Antônio da Platina, Santo Antônio do Caiuá, São Carlos do Ivaí, São João do Triunfo, São Jorge, São Jorge do Ivaí, São Jorge do Oeste, São José dos Pinhais, São Manoel, São Mateus do Sul, São Miguel do Iguaçu, São Pedro do Ivaí, Sarandi, Serranópolis do Iguaçu, Sertaneja, Sertanópolis, Siqueira Campos, Tamarana, Tapejara, Tapira, Telêmaco Borba, Terra Boa, Terra Roxa, Tibagi, Toledo, Tuneiras do Oeste, Umuarama, União da Vitória, Ventania, Verê e Xambrê.





Idosos


O Paraná ultrapassou neste fim de semana a marca de 1,3 milhão de paranaenses vacinados contra a Covid-19. Destes, quase 1 milhão correspondem apenas a idosos: são 977.484 pessoas acima de 60 anos que já receberam pelo menos a primeira dose do imunizante. O número corresponde a 55% da estimativa da Secretaria estadual da Saúde para esta população, que totaliza 1.781.813 pessoas, segundo o Plano Estadual de Vacinação.


Já a segunda dose, que demanda um intervalo específico de tempo para a sua aplicação, tem um percentual de 10% de idosos vacinados – foram 175.276 pessoas que receberam a D2 e completaram a imunização contra o coronavírus. Nesta etapa, a recomendação de intervalo de tempo varia conforme a fabricante: são 21 dias para a Coronavac, fabricada pela Sinovac/Instituto Butantan, e 12 semanas para a Covishield, fabricada pela Universidade de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz.


Somando os outros grupos prioritários, o Paraná aplicou, até esta segunda-feira (12), um total de 1.304.239 primeiras doses. O número corresponde a 12,49% da sua população total e a 28,1% dos grupos prioritários previstos no plano de vacinação – que estimam cerca de 4,6 milhões de pessoas e incluem, dentre outras categorias, indígenas, pessoas com comorbidades, trabalhadores de saúde, da educação e da segurança pública.


As informações são do Vacinômetro, plataforma online da Secretaria estadual da Saúde que mostra em tempo real os dados da vacinação no Paraná.





FAIXAS ETÁRIAS – A faixa etária mais avançada na vacinação é a dos idosos que possuem entre 80 e 89 anos: 97,28% (199.741) receberam a primeira dose e 45,8% (91.485 pessoas) receberam ambas as doses. A faixa de 75 a 79 anos também apresenta um alto percentual de aplicação: 93,4% (201.592 pessoas) receberam a primeira dose e 23,3% (50.291 pessoas) receberam as duas.


Entre os idosos de 70 a 74 anos, 292.361 já foram imunizados, o que corresponde a 90,96% desta população. Esta faixa começa a receber a segunda dose nas próximas semanas. Por isso, apenas 1,04% desta população já teve a imunização completada pela D2.


A faixa de 65 a 69 anos é a prioridade do Estado neste momento. Até agora, foram 248.512 pessoas vacinadas – 56,58% do total deste grupo, sendo que 1.090 delas receberam também a segunda dose, o equivalente a 0,25%.


Alguns municípios também já iniciaram a vacinação dos adultos com 60 a 64 anos. Foram 7.461 vacinados, o que corresponde a 1,35% deste grupo.


A única faixa que apresenta um gargalo na vacinação é a de idosos com mais de 90 anos: 65,32% (33.240 pessoas) do grupo recebeu a primeira dose e 56,95% (28.983 pessoas) receberam D1 e D2. No entanto, a Secretaria estadual da Saúde estima que esta seja uma divergência na estimativa dos dados desta população, já que há uma busca ativa por idosos na estratégia extramuros e o Estado tem observado uma boa adesão à vacinação por parte dos cidadãos.


O diretor-geral da pasta, Nestor Werner Junior, explica que a metodologia do Ministério da Saúde para estimar os grupos prioritários do plano de vacinação utiliza diferentes bases de dados e, por isso, pode haver uma diferença entre a expectativa e a realidade.


“Como é uma estimativa, a gente não sabe efetivamente quantas doses vão ser aplicadas em cada grupo: a estimativa pode estar maior ou menor. Existe uma dinâmica do dia a dia que influencia no número final, e por isso você tem alguns municípios mais adiantados e outros mais atrasados com relação à faixa etária. Como são 399 realidades, existe muita diversidade no Estado”, relata o diretor.





PROFISSIONAIS DE SAÚDE – O grupo dos trabalhadores da área da saúde foi o primeiro a ter sua vacinação iniciada no Paraná. Em um primeiro momento, a imunização priorizou os profissionais atuando na linha de frente de combate à Covid-19. Posteriormente, a vacinação neste grupo começou a ser intercalada à dos idosos, cuja mortalidade pelo coronavírus é maior.


Até esta segunda-feira (12), 98,77% deste grupo já havia recebido a primeira dose – um total de 299.291 profissionais –, e 47,4% receberam ambas, sendo 143.602 profissionais.


Também já foi iniciada a imunização de outros grupos prioritários. Idosos institucionalizados, indígenas e pessoas com deficiência em instituições inclusivas foram grupos abarcados ainda no início do programa de vacinação. Na etapa atual, além das pessoas de 65 a 69 anos, o Paraná está vacinando também os trabalhadores de segurança pública/Forças Armadas e os quilombolas. Entre os próximos grupos previstos estão pessoas com comorbidades e profissionais da educação.


Segundo o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, a previsão atual para abril é que o Paraná receba 1,5 milhão de doses. “Com esse número, nosso foco é começar a vacinar as pessoas com pelo menos 60 anos de idade. Chegando nessa meta, conseguiremos diminuir muito a mortalidade nas nossas UTIs. Hoje, 67% dos paranaenses que perderam a vida para o coronavírus têm mais de 60 anos de idade. Conseguindo imunizá-los, tenho certeza de que vamos baixar a mortalidade de forma geral”, explicou.


No total, foram 2.495.350 doses de vacinas recebidas do Ministério da Saúde desde janeiro.


Fonte: AEN

1 visualização0 comentário