• PORTAL G7

Com o sucesso da vacinação, mortes por Covid diminuem 95,4% em Curitiba


Até 15 de dezembro, 86,5% dos moradores com mais de 12 anos estavam totalmente imunizados pelas equipes da Secretaria Municipal da Saúde.



Foto: SMCS / Pedro Ribas



Com recorde de investimentos no SUS Curitibano, unidades de saúde reorganizadas, estrutura hospitalar fortalecida, contas em dia e prateleiras de medicamentos reabastecidas, o primeiro ano da nova gestão do prefeito Rafael Greca também foi marcado pelo sucesso da campanha de vacinação contra a covid-19.

Ao longo dos meses, pontos de vacinação contra a covid-19 se espalharam pela cidade e chegaram a ser 82. Com atendimento aos fins de semana, mutirões, busca ativa de faltosos, vacina em domicílio para acamados, Curitiba aplicou 3.256.584 doses de janeiro a novembro. A Secretaria Municipal da Saúde mostrou toda sua capacidade de imunização quando aplicou 45.611 doses em um único dia.

Atualmente, 94,5% da população com 12 anos ou mais já recebeu ao menos uma dose e 86,5% completaram o ciclo vacinal. Foram aplicadas ainda 278.390 doses de reforço. Com isso, desde março, ainda no início da campanha, até novembro, o número de mortes por covid-19 caiu 95,4%. Em março foram 1.039 óbitos e em novembro 48.

“Com a recuperação financeira da cidade no início da gestão conseguimos chegar onde chegamos e dedicar aos curitibanos uma saúde cada vez melhor. Enfrentamos a pandemia sem sucumbir, fizemos uma linda campanha de imunização. Encerro este ano coroado com o Natal da gratidão, das luzes que vieram para iluminar os dias sombrios da pandemia que se afasta”, comemora Greca.

A Saúde continua sendo prioridade nesta nova gestão e o recorde em investimentos na área comprova. Em 2021, o orçamento deve chegar a R$ 2,4 bilhões, sendo R$ 1,1 bilhão de recursos do município, o que representa 20,66% das receitas municipais - acima do mínimo constitucional exigido de 15% aplicados em saúde. É o maior investimento da história.

“Para mim é um orgulho estar à frente da melhor equipe de saúde e ao lado melhor prefeito. Rafael Greca não mediu esforços e nem faltaram recursos para garantir o melhor atendimento à população de Curitiba. Viva a Saúde”, agradece a secretária municipal de Saúde Márcia Huçulak.



Pavilhão da Cura


Símbolo da imunização, um grande centro de vacinação foi montado no parque Barigui, o Pavilhão da Cura, endereço de muitas emoções ao longo do ano. Lá foram aplicadas 416.995 doses de vacina.

Servidora pública há 20 anos, a enfermeira Silvana Maria Bora foi a primeira vacinada no Pavilhão da Cura, representando todos os profissionais de saúde da cidade.

Pelo Pavilhão da Cura passaram mais de 500 trabalhadores, entre servidores municipais, estagiários e parceiros e também voluntários. O grupo se uniu na missão de dar esperança ao cidadão a partir da aplicação das vacinas. Um conjunto quase anônimo, com rostos cobertos pelas máscaras de proteção, mas que desenvolveram a habilidade de sorrir com os olhos para receber e atender com competência e dedicação cada uma das milhares de pessoas que circulam pelo espaço, no período de vacinação.

“Formamos uma família, enfrentamos desafios e superamos adversidades que foram desaparecendo à medida que pudemos comemorar com cada pessoa imunizada. Foi um espaço de muita boa energia, de pessoas felizes e cheias de esperança”, diz Valquíria Conrrad, enfermeira da Secretaria Municipal da Saúde encarregada de coordenar os trabalhos no Pavilhão.

O Pavilhão da Cura também foi local para a capacitação de mais de 1,6 mil profissionais para atuação na imunização contra a covid-19 e, assim ampliar os pontos de vacinação pela cidade.

Após 242 dias de vacinação, Curitiba concluiu a convocação da população acima de 18 anos, público prioritário para a vacina contra covid-19. Naquele momento, com a missão cumprida, o pavilhão encerrou as atividades, mas a vacinação continuou nos demais postos.



Entre o cuidado e a prevenção


Enquanto a vacinação contra covid-19 caminhava, os 9.833 trabalhadores da saúde se revezavam entre a imunização, testagem, o monitoramento e os atendimentos aos que se contaminaram pela covid-19.

Para dar conta da pandemia e continuidade dos atendimentos de saúde essenciais, foram contratados 2.541 novos profissionais. Entre os novos contratados está a enfermeira Andreia Santos Dias que escolheu a Unidade de Saúde Vila Clarice, no Boa Vista, para trabalhar.

“Mesmo sendo SUS, aqui em Curitiba a estrutura é mais completa, abrange todos os atendimentos e oferece um acompanhamento total para população", ressalta Andreia. Em 2021, a pandemia mostrou mais força que no ano anterior e novamente unidades de saúde e UPAs foram reorganizadas para fortalecer a rede hospitalar.

Os três hospitais exclusivos para pacientes com covid-19 - fruto da confiança dos parceiros da rede hospitalar reestabelecida pela gestão – fez com que Curitiba assegurasse o atendimento à população sem apelar para os hospitais de campanha.

Com mais experiência no atendimento e estrutura fortalecida, a cidade chegou a ter 1.294 leitos SUS exclusivos para a covid-19 - 548 de UTI e 746 de enfermaria clínica.



Hospitais


Os três hospitais instalados na pandemia para atender pacientes SUS covid-19 já têm boa parte dos leitos revertidos ou desativados. Entre eles, o Hospital Vitória que, em parceria com o Grupo Amil, foi totalmente desativado devido à baixa nos internamentos.

Aos 29 anos a vendedora Gisele de Oliveira de Camargo deixou um pedaço da sua história no hospital Vitória. Ela foi a paciente número 3.000 que recebeu alta, e deixou registrada sua passagem no mural da Vitória.

"Eu não tinha medo da covid-19, mas passei a respeitar a doença, vou redobrar os cuidados. As pessoas precisam usar máscara porque isso não é brincadeira", desabafa Gisele.

Com o avanço da imunização e medidas de contenção de casos, os leitos exclusivos para a covid-19 foram dando espaço para a retomada de outros procedimentos e cirurgias eletivos que estavam suspensos. Hoje são 234 leitos exclusivos para covid-19, com ocupação média de 30%. Redução de 82% da necessidade de estrutura hospitalar, destinada à pandemia.



Remédios


Com investimentos de mais de R$ 33 milhões (até novembro de 2021) em compra de medicamentos, as prateleiras da Farmácia Curitibana estão abastecidas e cerca de 187 mil pessoas são beneficiadas por mês com medicamentos gratuitos. Em 2021, foram 195.064.130 milhões de unidades de medicamentos distribuídas.

Com funcionamento 24 horas, o Laboratório Municipal atendeu (até novembro) 507 mil pessoas. Fez cerca de 4,2 milhões de exames nas áreas de imunoquímica, parasitologia, hematologia, microbiologia, urinálise e biologia molecular.



Cuidado e prevenção


Com a mitigação da pandemia, equipes das unidades de saúde retomaram ações de cuidado e prevenção, realizando mutirões de atualização e busca ativa de pacientes com doenças crônicas com consultas atrasadas.

Com equipes a todo vapor, foram 5.228.817 procedimentos médicos e de enfermagem e mais de 2 milhões de consultas realizadas nas unidades de saúde até novembro. A odontologia aumentou em 197% o número de procedimentos realizados de janeiro a novembro.

Esse aumento foi graças à retomada dos atendimentos odontológicos não urgentes, com priorização dos grupos mais vulneráveis como gestantes, crianças 0 a 2 anos e de 5 a 6 anos, pacientes com diabetes tipo 2 e pessoas de alto risco com idades entre 40 a 50 anos.

Para a retomada da odontologia, os consultórios passaram por reforma, os processos de trabalho foram revistos e as equipes capacitadas para garantir protocolos seguros diante da circulação do novo coronavírus.

Com as telerregulações, retomada de consultas e procedimentos eletivos, no mesmo período, as filas de espera para consultas com especialidades já atingiram redução de 71%. Foram 83.574 consultas telerreguladas, nas mais diversas especialidades.



UPAs e CAPs


Reformadas e com ampliação da rede de gases, as Unidades de Ponto Atendimento (UPAs) realizaram 656.293 atendimentos. A frota renovada de ambulâncias foi responsável por 324.701 deslocamentos de pacientes.

A rede hospitalar do SUS Curitibano também garantiu à população 165.090 internamentos e 116.775 procedimentos diagnósticos e cirúrgicos.

Nos Centros de Atenção Psicossociais (Caps) 42.669 moradores de Curitiba receberam acompanhamento na área da saúde mental, 10.393 novas pessoas foram recebidas pelas equipes ao longo do ano.


Tecnologia pela saúde dos curitibanos


O ano também foi marcado pela criação de ferramentas tecnológicas. O aplicativo Saúde Já recebeu novas funções. Uma delas permitiu que o usuário não cadastrado no E-saúde (sistema de prontuário eletrônico de Curitiba) pudesse se cadastrar no app. Assim, o usuário chegava ao local de vacinação com o cadastro pronto, o que deu maior agilidade ao processo.

Para a vacinação do público prioritário com comorbidade, o aplicativo foi integrado ao banco de dados do Conselho Regional de Medicina do Paraná, com sistema de alerta pelo app aos usuários declarados como pessoas com comorbidades pela rede privada.



E-Saúde mobile


Uma versão para smartphone do E-saúde, o sistema de prontuário eletrônico de Curitiba, agilizou o atendimento profissional para a vacinação, permitindo migrar os dados de todo o processo automaticamente para o sistema de registros do Ministério da Saúde.

A tecnologia também permitiu a implantação de pontos de vacinação remotos, como praças, e o sistema drive-thru da vacina para idosos com dificuldade de locomoção. No total, foram 3.138.448 doses de vacinas contra a covid-19 integradas, em tempo real, ao sistema de registros do governo federal.



Licença sanitária digital


Como cidade inteligente que é, Curitiba implantou um sistema de emissão de licença sanitária digital, uma ferramenta para reduzir a burocracia junto à regularização de empresas na cidade. Agora, empresas que se enquadram nos critérios podem emitir ou renovar a Licença Sanitária totalmente on-line.



Central 3350-9000


Criada no início da pandemia, para atendimento de casos relacionado à covid-19, a Central 3350-9000 ganhou novas funções em 2021, entre elas o cadastramento de usuários no E-saúde, agendamento de mamografias de rastreamento e coleta do exame papanicolau.


Além disso, no período mais crítico da pandemia, a central realizou teleatendimentos com profissionais médicos e de enfermagem para outras condições clínicas consideradas não urgentes.

A equipe multiprofissional, composta por 55 trabalhadores de saúde, realizou 260.964 atendimentos durante o ano, sendo 28.396 consultas de enfermagem, 12.671 teleconsultas médicas e 11.229 novos cadastramentos de usuários entre outras informações e atendimentos à população, por telefone, whats app e e-mail.


Outros avanços da Saúde em 2021

  • 16 unidades de saúde reformadas, uma em execução;

  • 12 unidades revitalizadas. Outras 25 receberam melhorias;

  • Implantação do incentivo municipal de R$ 31,2 milhões por ano para os hospitais;

  • Reforma da UPA Boqueirão, com novo modelo de atendimento;

  • Apresentação de Índice de infestação de 0% pelo Aedes aegypti, mosquito vetor de doenças como dengue, zika e chikungunya;

  • Ampliação da testagem contra a covid-19;

  • Renovação do Certificado de Eliminação de Transmissão Vertical do HIV de mãe para filho;

  • Redução de casos de HIV/Aids;

  • Retomada dos grupos de atividades física, fisioterapia e tabagismo.



Fonte: PMC


2 visualizações0 comentário